Cefaléia Tensional - Enxaqueca

O que é a Cefaléia Tensional?

Pelo menos nove entre dez pessoas já tiveram ao menos uma dor de cabeça em suas vidas. A grande maioria desses casos se enquadra nos critérios diagnósticos de cefaleia ou dor de cabeça tensional. 

  1. A cefaleia ou dor de cabeça tensional episódica, que representa um problema temporário, provavelmente em resposta a algum evento desencadeante específico. Por definição, a cefaleia do tipo tensional episódica pode durar de meia hora a 7 dias. Muitos casos ficariam com essa dor de cabeça ao final de um dia cheio ou um período estressante. 
  2. A cefaleia ou dor de cabeça tensional crônica, por outro lado, representa um problema mais duradouro, indo além de 7 dias, podendo até mesmo ocorrer todos os dias, por tempo indeterminado. Geralmente, a pessoa acorda com a dor ou começa a senti-la ainda pela manhã.

O que acontece?

  Quadro Clínico da Cefaleia Tensional Dentre as principais queixas relatadas por pacientes com cefaleia tensional, pode-se destacar a rigidez muscular em região posterior do pescoço, sensação de cansaço, náusea, vertigem, irritabilidade, sono, seguido de uma dor difusa e latente geralmente na região da nuca. Alguns referem pontadas súbitas de dor em apenas um lado ou em toda cabeça, adicionadas a um sentimento geral de desconforto (JUCÁ 1999). Segundo Silva (1979) diz que a cefaleia é difusa, predominando na nuca e tem caráter constritivo. Dados estimativos indicam que 5% a 10% dos casos registrados, geralmente são confundidos com enxaqueca. Por isso é de vital importância o diagnostico direcionado, levando em conta todos os sinais e sintomas relatados pelo paciente. Os músculos da região posterior do pescoço encontram-se rígidos e dolorosos à palpação. Os movimentos tornam-se limitados criando um problema para realização das atividades de vida diária. Juca (1999) ressalta que aqueles que mantêm os músculos da mandíbula cronicamente contraturados, normalmente relatam dor nos músculos temporais e masseterinos. Aqueles que trazem constantemente o rosto ou semblante contraído, têm cefaleia bifrontal e aqueles com queixa de pescoço rígido descrevem dor occipital, dor ao qual podem passar de um lugar para outro de maneira que perceptível ao portador desta algia.  

A Fisioterapia

A fisioterapia vem se tornando cada vez mais importante no tratamento da Cefaléia. Trevisol et al, (1986) afirmam que exercícios de relaxamento muscular ajudam no alívio da dor da cefaleia. Já Cassar, (2001) complementa citando a massagem no couro cabeludo, uma técnica de fricção. Também cita alongamentos de trapézio superior e musculatura póstero-laterais do pescoço variando com uma técnica de deslizamento. E principalmente, a fisioterapia irá atuar, na inibição destes pontos de tensão.    Devemos atuar de maneira Global no paciente, verificando os hábitos de vida diária, postura e tensão muscular. Com esta avaliação saberemos exatamente quais técnicas melhores para cada paciente e como atuar em cada região do corpo.  

  TÉCNICAS 

  • Pompagens  
  • Terapia Manual 
  • Liberação miofascial – couro cabeludo, atm, pescoço e ombros 
  • RPG
  • Alongamentos 
  • ELETROTERAPIA - TENS, US e Laser

Nossa Fisioterapeuta

Renata Massaia

Acompanhe nossa Fisio no Instagram:

@Renatamassaia

Chega de Dor!

Técnica Exclusiva, para acabar com a Cefáleia Tensional!

Agende sua Avaliação!

Você não precisa conviver com a dor...ligue agora: 11 5041-4331

Um pouco mais...

Depois de muitos atendimentos, e cursos nas diferentes técnicas de fisioterapia, que poderiam ser aplicadas para a região cervical e cabeça, cheguei a um protocolo de atendimento que vem ajudando centenas de pacientes.

Atuo, há muitos anos em conjunto com o Mestre, Doutor, Alexandre Pieri, onde buscamos sempre alternativas do tratamento medicamentoso.

Saiba um pouco mais sobre o Dr. Alexandre Pieri: 

  • Membro titular da Academia Brasileira de Neurologia
  • Mestre em Neurologia pela Escola Paulista de Medicina Unifesp
  • Doutor em Neurologia pela Escola Paulista de Medicina Unifesp
  • Pós Doutor Neurocardiologia Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia / USP
  • Neurologista do Hospital Israelita Albert Einstein e Neurologista Vascular do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia / USP
  • Médico Especialista em segunda opinião na prevenção, tratamento e reabilitação dos pacientes com acidente vascular cerebral
  • Fellowship em Neurologia vascular pelo Hospital Vall d’Hebron – Barcelona / Espanha
  • Médico Speaker Trainner em Neurocardiologia pela Boehringer Ingelheim